Na companhia da cortesã

7

Autora: Sarah Dunant

Capa de Livro: Na companhia da cortesã

A história da Europa na primeira metade do século XVI é um misto de convulsão política e conflitos religiosos. A Igreja Católica, corrupta e centralizada em Roma, via-se desafiada pelo protestantismo, que se espalhou rapidamente pela Alemanha e norte do continente. A Itália nada mais era que um grupo de cidades-estado vulneráveis ao ataque interno e ameaçadas de invasão estrangeira. Especialmente pela Espanha, governada por Carlos V, imperador do poderoso e temido Sacro Império Romano Germânico.

As mais influentes cidades italianas eram Roma e Veneza. Com o declínio de Florença, a arte e a cultura da Alta Renascença migraram para a proteção da cidade dos papas. Enquanto isso, Veneza ainda mantinha notável estabilidade doméstica. Nesse turbilhão de acontecimentos, Sarah Dunnant — uma das mais notáveis escritoras de romances históricos da atualidade — apresenta os personagens de Na companhia da cortesã: Fiammetta Bianchini e seu cafetão e parceiro, o anão Bucino Teodoldi.

Mesclando fato e ficção, Sarah acompanha essa estranha dupla a partir de 1527, quando Roma sofre um de seus mais terríveis ataques. Soldados do imperador Carlos V avançam sobre as muralhas da cidade, pilhando tudo o que encontram pela frente. Em meio ao caos do saque, a dupla consegue fugir, em direção a Veneza, cidade natal de Fiammetta. De valor, apenas algumas poucas jóias, engolidas às pressas pela cortesã e, agora, na segurança de seu próprio corpo.

Com muita coragem e astúcia, a dupla se infiltra na sociedade veneziana, desfrutando a luxúria e o pecado que desfilam nos palácios suntuosos. Fiammetta, educada desde o berço para atrair e satisfazer os homens, começa a acumular um pequena fortuna. Porém, à medida que a riqueza aumenta, a perfeita parceria entre o anão e a cortesã é ameaçada pela paixão de um amante que deseja algo mais do que noites prazerosas e por um turco encantador em busca de atrações para a corte de seu sultão.

Fluente e exuberante na descrição das cores e texturas da sociedade italiana do século XVI, Na companhia da cortesã é um romance sobre o pecado do prazer e o prazer do pecado.

Como citar este livro:

DUNANT, Sarah.  Na companhia da cortesã. Tradução de Ana Luiza Dantas Borges.  Rio de Janeiro: Record, 2008.  389 p.