Inteligência produtiva: somos o que pensamos ou pensamos o que somos?

81

Autor: Luiz Ângelo dos Santos

Capa de Livro: Inteligência produtiva: somos o que pensamos ou pensamos o que somos?
Existe um novo tipo de inteligência até então não descoberto? Inteligência e aptidão são a mesma coisa? Luiz Ângelo traz até nós, em uma linguagem interpretativa, sua compreensão de como inteligência e aptidão podem assumir papéis diferentes conforme o contexto existencial. Enquanto uma nos faculta compreender o mundo que nos cerca, a outra facilita nossa caminhada através dele. A inteligência produtiva é uma delas. A dinâmica da inteligência é como a dinâmica do universo, está sempre em expansão conforme nossas necessidades vão se modificando. A inteligência produtiva tem a aptidão de nos levar a fazer as “coisas” acontecerem, e nos conduz a caminhar pelo universo dos elementos que a compõem. Ele demonstra que o sentido desses elementos é estarem ligados a um objetivo definido. As dimensões da inteligência são: Pessoas e seu comportamento: porque influenciam diretamente nossa capacidade de fazer as “coisas” acontecerem. Competência e conhecimento: porque podem modificar os resultados conforme nos são próprios ou adquiridos. Recursos e seu desempenho: porque sem eles nossa capacidade fica limitada a nossa fragilidade. E, finalmente, o objetivo e sua essência: porque temos que saber exatamente aonde queremos chegar. No decorrer dessa descoberta, vamos percebendo que conhecer esses novos elementos é tão importante quanto saber como conectá-los e entender o poder que essa conexão possui. A partir daí, fazer as coisas acontecerem produzindo algo é ter a consciência de que todos temos uma inteligência produtiva e saber utilizá-la fará a diferença em nossos propósitos.

Como citar este livro:

SANTOS, Luiz Ângelo dos. Inteligência produtiva: somos o que pensamos ou pensamos o que somos?: por que algumas pessoas conseguem resultados e outras não?. 1. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2017. 217 p.a